terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Completiva e Relativa sem antecedente

- neste caso, o consulente - que se diz «do 9.º» - solicita uma distinção entre a Oração completiva e a Relativa sem antecedente

-resposta recente, de 18 de Dezembro (n.º 32292) de Carlos Rocha,  no CBDV - AQUI

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Sigla e acrónimo

- Questão surgida num dos Envelopes da semana; originou  natural controvérsia, que foi «ultrapassada» com a ajuda deste «verbete» do «CBDV» -

- esclarecedora  resposta, a uma prof., de Ana Martins, de 30 de Março de 2009

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Deixis

Termo e conceito que continua a causar dificuldades, documentadas no número de «consultas» inseridas no «CBDV»; na referida abaixo, quem pergunta diz que já leu as outras respostas, mas ainda «não compreendeu»

Explicação de Carlos Rocha, datada de 15-11-2010:

http://www.ciberduvidas.com/pergunta.php?id=28980

domingo, 3 de novembro de 2013

«Eis» - a questão

- a dúvida quanto à classificação gramatical do elemento «Eis» começou com o verso inicial de poema ortónimo, datado de 12 de Maio de 1913:
- "Eis-me em mim absorto"
- perspetivas diversas em 2 artigos do «CBDV»:
- um, mais «antigo», de 1999 - AQUI
- outro, mais «recente», de 2010 - (número 29068 - AQUI) - respondendo a questão de P. (- «os que têm que...»), quanto à «classificação na sub-classe»

Da vírgula e do ponto e vírgula

- no «CBDV», como habitualmente;

- a questão, colocada por «oficial do mesmo ofício», refere-se ao uso desses sinais nas «enumerações» das Atas das reuniões («UI, UI, UI») e «responde a si mesma», tal como refere o consultor, Pedro Mateus;

- este, «derivando»,  reflete, sobretudo,  sobre a «obrigatoriedade» (ou não) de colocar SEMPRE vírgula antes da adversativa «mas» - exemplifica quer no texto literário, quer no informativo [...]

Resposta n.º 30976, «Sobre o uso da pontuação», de 26 - 04 - 2012 - AQUI

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Predicativo do sujeito

- discutia-se, esta tarde, o que é tratado nos dois artigos - do «Ciberdúvidas» - abaixo indicados:

- «oração relativa livre com função de P. do S.» - verbete de Sandra Duarte Tavares, recente, de outubro       - AQUI

- «O nome predicativo do sujeito e o Dicionário Terminológico» - verbete, publicado antes do anterior, na secção «Controvérsias» - em 2012, que problematiza o mesmo:             AQUI

sábado, 19 de outubro de 2013

Pessoa, por António Quadros

Programa da RTP, de 1988, «Biografia de Pessoa», realizado por José Manuel Caixeiro                          - agora no ARQUIVO da mesma   


quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Pessoana - Janeiro de 2010

(do «Multipessoa», em princípio...) Sub-intitulado:

«Ficheiro de citações bibliográficas sobre a obra de Fernando Pessoa»,
[sob a forma de «blogue»]

- organizado  por tema, motivo, «palavra-chave»...,
- AQUI

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Pronominalização do complemento direto e indireto (o, lhe...)

O artigo, n.º 20958, de Carlos Rocha, de 21- 06 - 2007. no «CBDV» estabelece as diferenças nas ocorrências do indicado, em Portugal e no Brasil
 - AQUI

- consultar também os arigos associados

domingo, 13 de outubro de 2013

AVISO «à Navegação»

O «Ciberdúvidas»,  de  há muito que  vem lamentando «problemas vários» - com «Plataformas» e «afins»;

- logo, as referências antes inseridas nesta «Casa» - «a de Apoio mais próximo» -  terão que voltar e ser «ligadas» (pela 3.ª ou 4.ª vez)

Só quando S. (que começa a «avelhar demais») tiver tempo, naturalmente.

sábado, 28 de setembro de 2013

Hífen

- Já era tarde, noite,  e S., ainda sem RITMO - que se mantém Velho e Rezingão relativamente ao  A. O. - acabou por não esclarecer a dúvida;
 
- um dos Qd.s não «deixou passar» e fez bem
 
- arrumação simples e eficaz, vinda do Brasil,    [«uso do hífen descomplicado»]                                AQUI

sexta-feira, 26 de julho de 2013

«Erros cratos» + «Pessoa? É fácil»

«Erros cratos, ou o Português dos cenários de resposta» - título da reflexão crítica de António Carlos Cortez, sobre o EX da 1.ª fase, no Público, 26-07-2013, p. 49
A LER: AQUI
 
a) recorte-se uma citação da Prof. Maria Alzira Seixo:
 
"A literatura é o estudo do tratamento estético da linguagem, e como tal confere ao indivíduo o entendimento integral das várias formas de comunicação no quotidiano e fora dele."
 
b) idêntico artigo, do mesmo professor, escritor e crítico, no JL, n.º 1117, 24 - 07 - 2013, [...]
 
 Outra reflexão - de outros consulentes -  »Pessoa é fácil» -  também  no Público,  de dia 15 de Julho, p. 39:
A LER: AQUI

domingo, 19 de maio de 2013

Tempo (da história e do discurso)

No início deste verbete do «E - DTL», o professor brasileiro João Adalberto Campato Júnior precisa que vai tratar da  Categoria no Modo Narrativo;

- acessível, remetendo para Genette (Gerard) e  Reis (Carlos), e referindo   conceitos associados como: Analepse e Prolepse; isocronia e anisocromia.

AQUI

Oração completiva - indicativo e conjuntivo

Artigo de Eunice Marta, no «CBDV», n.º 31116, de 28 - 03 - 2012

AQUI

Argumentativo e Expositivo (Expositivo-Argumentativo)

Uma professora pergunta ao «CBDV» quais as diferenças entra as Tiplogias indicadas (questão pertinente para o «Nacional» que, no enunciado «propõe» «uma reflexão», fundamentada em argumentos «ilustrados» (termo ambíguo, no caso, para T.) por exemplos 

Resposta (n. 16676) de Eunice Marta, de 16 - 01 - 2006

Argumentação ( a estrutura da)

Artigo de Ana Martins, de 26 - 03 - 2010, no «CBDV», em resposta a questão oriunda do «outro lado do Atlântico»

AQUI

Texto argumentativo - como o estruturar

«Alojado» em Casa da «PUCRS» («Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul»), este artigo, - uma das «peças» de um «Guia de («produção textual») («Manual» de)  reda(c)ção» - ,
é ilustrado com um Modelo (intitulado «Gramática e desempenho linguístico») aplicado à refutação de que o conhecimento gramatical «estrito» (ou meramente «descritivo»)  contribua para um melhor desempenho expressivo - questão polémica, de fa(c)to

AQUI

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Como fotografar adjectivos, verbos e preposições

«[...] Como dizia alguém a Scott Fitzgerald, por volta de 1930, não é possível fotografar adjectivos — nem verbos, nem preposições [...]»

T. lembrava-se de ter lido esta crónica de Vasco Pulido Valente, no dia da sua publicação no Público (06-09-2009)  mas o «reencontro» proporcionado pelo «CBDV» foi [...]

AQUI

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Complemento oblíquo e Modificador

- ambos os termos «perturbam» bastante os Qd.s e não apenas os «displicentes»

- distinção, num exemplo particular, por Pedro Mateus, em 14 - 10 - 2011, no «CBDV»  - AQUI 

- ver também o outro artigo, referenciado  no anterior - ESTE

sábado, 13 de abril de 2013

Saramago - Pontuação («brincriar» com)

Finalmente relocalizado na nova PLAT do CBDV - artigo de Isabel Coutinho, no Público, de 23 de Abril de 2008, com o título
«Saramago - o escritor que brinca com a pontuação»                   AQUI

(Também em blogue da própria Isabel Coutinho, em E. de 23 de junho de 2010 - AQUI

[não esquecer a Escrita de outro «Brincriador» - Mia Couto - agora, que todos o propõem», menos o propõe T. - Tiques e Tiques, enfim]

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Saramago, IV - Memorial, Narrador

 «Um narrador  sob suspeição»: Memorial do Convento, de José Saramago,

 por Helena Bonito Couto Pereira – UPM, Lílian Lopondo – USP e UPM 

[para consolidar e aprofundar]

[artigo-ensaio universitário, de duas professoras brasileiras, de síntese,  com cerca de sete páginas, que não deverá provocar «grandes dificuldades» aos Qd.s «que já lêem» 

- nele se fala de «um narrador sofisticado» e são referenciados  outros temas, categorias  e procedimentos estilísticos]

AQUI

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Saramago, III - «A consistência dos sonhos»

T. lembra-se bem de ir ao Palácio da Ajuda, pela Primavera de 2008, ver, «materialmente», esta exposição, montada pela Fundação César Manrique, «sediada» AQUI

Continua «virtualmente» disponível e espera-se que «para sempre»

AQUI

Saramago, II

1) - Documentário da série «Grandes Livros», da RTP 1 - colocado no YT pela Fundação José Saramago                             AQUI

também na Casa «Ensina» - da RTP                - AQUI


2) - no mesmo «endereço», «reportagem biográfica», de Teresa Nicolau (um pouco mais de 3', não datada)                - AQUI


3) - programa da série «Ler mais ler melhor», em que Maria Alzira Seixo discorre sobre aspetos diversos de várias obras de Saramago - no «YT» - AQUI

4) - Entrevista, à TVE, em Fevereiro de 2001, na publicação de A Caverna.                                No «YT» -  AQUI

Saramago, I

1) - Entrevista, em 01 de Novembro de 2009, a José Rodrigues dos Santos, na série «Coversas com Escritores»

"um romance meu cresce como uma árvore»

na Casa «Ensina», da RTP -         AQUI

2) - Documentário da RTP, de 1995, que parte do «Episódio» S. L., e de entrevista com o próprio [que comenta a Obra...] + leitura de excertos de diversas obras, por Susana Borges e João Lagarto [...]

no «ARQUIVO» da RTP

3) - «Dossiê» no Espaço JL, na Casa da Visão - documentos diversos - AQUI




domingo, 10 de março de 2013

Conto (Micro)

Aquilo que T. há dias propôs, para 45 minutos, seria mais «um Mini Conto» que um «Micro Conto»
 - C. G., do segundo Bloco, leitora já com «algum Traquejo», ficou interessada e disse, depois, «que andou pelo "E-DTL" e que aprendeu outros Termos e Conceitos ....»
 - T. bem lhes diz, há Séculos,  para «tomarem a iniciativa da (sua própria) APREND» - mas, ainda nesta manhã, a Vizinha, Mestre de FILO,  referia os Qd.s que, com «Cara de Vómito», alegavam ter reproduzido o que o MAN dizia...
- se isso se multiplicou por «X», nos Envelopes, Coitada da Vizinha...

- Bom, para C. G., então, este artigo - «Histórias desabitadas»
-  do «P3» (suplemento do Público) sobre o

MICRO CONTO e as  «MICRO Histórias» de Fernando Guerreiro, de Odemira,  que «pratica» o «Género» no «F. B». e «originou» o artigo

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Teatro Épico e Teatro Didá(c)tico

Nos parágrafos iniciais do verbete dedicado ao «Teatro Épico» no E-DTL - AQUI, Catarina Silva refere: -        (sublinhados acrescentados)

Género teatral teorizado por Bertold Brecht que contrasta com o teatro Aristotélico da mesma forma que epopeia e drama se opõem como narração e acção.
É um teatro de cunho narrativo, que recusa a ilusão e qualquer comunhão, utilizando para isso efeitos de distanciação, de forma a preservar uma atitude crítica por parte do espectador e uma eficácia pedagógica que o drama, ao apelar à identificação e à comoção, não possui. [...]
 
Recorte do verbete sobre «Teatro Didáctico», assinado pela mesma Consulente:
 
[...] Veja-se, por exemplo, o teatro brechtiano que intimamente ligado a um intuito didáctico (Mahagonny – ópera brechtiana didáctica), visa apresentar um «palco científico» capaz de esclarecer o público sobre a sociedade e a necessidade de transformá-la; capaz ao mesmo tempo de activar o público, isto é, de nele suscitar a acção transformadora. O fim didáctico exige determinadas condições, das quais se salienta o apagar da ilusão, o impacto mágico do teatro burguês. [...]
 

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Próclise do pronome «se»

Questão idêntica saiu no II Grupo do Envelope de um dos Blocos de D. G.

Foi, assim, a correcção remetida para artigo de Eunice Marta, no Ciberdúvidas:

O número 299645 AQUI

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Ortografia - «Divertimento», Alexandre O'Neill

«Divertimento com sinais ortográficos» foi inserido em "Abandono Vigiado", de 1960.
[O'Neill, Alexandre, «partiu» em 1986. É sempre tempo de revisitar a sua obra]

O «Ciberdúvidas» disponibiliza parcialmente a «série de aforismos-comentários, ternurentos-satíricos» (também em Vídeo), na secção «Antologia»                     - indo directamente -              AQUI 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Futurismo

- pensando T. que haverá alguns (algumas) Qd.s a precisarem de «consolidar» conceitos ...
[sim, sim, sabe-se bem como a Maioria Diferente «odeia» Conceitos lá pelo Palácio-Paraíso 1213]
... em fontes «não-apressadas», i. é, nem demasiado «extensas» nem ligeiras, o verbete do E-DTL, assinado por Dina Moniz     - AQUI

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Pronomes e falácias

Reproduz-se o título do «exercício» irónico  
que A. Eus propõe, «guiada» por Benveniste,

AQUI

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Pessoa, por Maria Germana Tânger

O programa «Câmara Clara» - cuja Mentora foi Paula Moura Pinheiro -  terminou, após alguns anos.

«Reze-se», então, para que os arquivos «Santanéticos» do mesmo não sejam apagados, «corrompidos».

No caso do programa (n.º 94) de 15 de Junho de 2008, dedicado a Pessoa, a Almada...
brilha Maria Germana Tânger (1920; - )

[enquanto for possível]             AQUI          [Já deixou de o ser]

[Resta o Recorte em que M. G. T. diz «Aniversário», no «YT» - por ex., AQUI

Dupla negação - em «Tabacaria»

Análise da «dupla negação» nos 3 primeiros versos de «Tabacaria», de Campos
- solicitada por «um estudante» (J. M. C.) 
- no «Ciberdúvidas» - por Eunice Marta, em 29-10-2010, resp.- n.º 28894

AQUI

Anástrofe e Hipérbato (em dois versos de Reis)

A pergunta, colocada por  uma estudante, ao «Ciberdúvidas», foi:

Gostaria de saber se a figura de estilo presente nestes versos é a anástrofe ou o hipérbato:
«Rosas amo dos jardins de Adónis,
Essas volucres amo, Lídia, rosas»


A resposta, n.º 32515, de 22-11-2012, de Eunice Marta, AQUI

domingo, 27 de janeiro de 2013

Campos, por João Grosso

           Excertos da «Ode Marítima», de Campos, interpretados pelo actor  João Grosso - de espectáculo no Teatro Nacional D. Maria II - disponibilizados pelo Público:

AQUI

sábado, 26 de janeiro de 2013

Sujeito civil, empírico (Vida e Obra)

           Numa recente E. do seu «Caderno Virtual» das «nove e tal», Maria do Rosário Pedreira evoca uma antiga colaboradora que, fascinada, estudava a obra de Borges para uma Tese de Mestrado em Teoria da Literatura, e que, quando «conheceu» « a pessoa por trás do escritor» - ( o denominado sujeito civil - ou empírico ou «objecto de Biografia»), ESFRIOU, «ficou afectada»
É um motivo recorrente e, depois de relembrar Céline , M,do R. P. termina:
 
«[...] com Borges ou qualquer outro, idem! Leiam-se as obras ignorando as vidas.»
 

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

«Sair do comboio» - Campos, por Zenith

Campos, lido e comentado por Richard Zenith

Vídeo da secção «Multimedia» do Público:

AQUI